quinta-feira, agosto 14, 2008

Kick the ball, Charlie.


Essa é uma nova-velha postagem. Eu tinha aqui como um rascunho, desde o ano passado, e como eu quero publicar uma coisa novinha e não estou com muita idéia (mentira, eu já estava pensando no que dizer quando achei esse rascunho... heheheheheh), a preguiça bateu e eu vou citar a mim mesmo. Então, sem a menor responsabilidade pelo conteúdo (já que eu não me lembro mais o que escrevi), segue:


Charlie Brown é um garoto comum. Ele sou eu, ele é você. A essência de Charlie Brown, ou Minduim, é o fracasso. É disso que somos feitos.Quem disser que nunca foi Minduim na vida, tem algum problema muito sério. Ninguém passa a vida sem querer uma Menina Ruiva inatingível, sem tentar chutar a bola e perder o chute, sem sentir que todo mundo à sua volta está meio estranho e tentar conciliar e entender isso. Minduim é uma criança maravilhosa, com uma vida maravilhosa, justamente por isso: ele fracassa. E pode, como bom cartum que não cresce, continuar fracassando, porque afinal de contas, ele será criança para sempre, junto com seus amigos neuróticos e sacanas. O mais legal em Minduim é que dessa seqüência de acontecimentos que algumas vezes são inconcebíveis até para um adulto, ele além de demonstrar uma determinação estóica, consegue pensar e expressar idéias que nós adultos não conseguiríamos também conceber, aí ele nos diz certas coisas que abrem nossa mente para o que vem à frente. E se ficamos adultos, percebemos que é aí que não somos Minduim. Não somos crianças para sempre, mas como ele, passamos a pensar diferente as quedas recorrentes, e a agir de modo diferente para com elas. É isso que nos fará crescer de verdade e ver que a Menina Ruiva, até pode ser tocada, mas se não puder, também não é motivo para sairmos do caminho na corrida. Minduim perde a corrida para nos mostrar que não devemos fazer o mesmo.Resumindo: Minduim é foda.



4 comentários:

livia disse...

bacaninha seu texto

Victor disse...

Hohohoho, eu nem me lembro direito o que eu escrevi, para ser sincero! hehehe

Klébia disse...

Eu sempre tive vontade de dar na cara da Lucy, mas quando cresci, descobri que sou igualzinha a ela...

Victor disse...

É pq a gente sempre odeia olhar para o espelho... hehehe